quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Se eu fosse igual a ti, eu não era uma criança...

"Se eu pensasse como um adulto, se eu falasse como um adulto, se eu fosse responsável como um adulto, se eu me 'portasse bem' como um adulto, se eu falasse de lógica como um adulto, se eu não me risse como muitos adultos não se riem, se eu não brincasse como muitos adultos não brincam, se eu não sorrisse a toda a hora, como muitos adultos não sorriem, se eu não dissesse coisas engraçadas, como muitos adultos não dizem, se eu não precisasse de chamar a atenção, como muitos adultos chamam e sem idade para o fazer, se eu fosse tantas coisas que me exigem, eu não era eu. Eu era igual a ti. Às vezes muito chata e depois falava sobre coisas que ninguém entende. Não. Se eu fosse igual a ti, eu não era uma criança."
MV Maria Veiga - Psicóloga Clínica

Sem comentários:

Enviar um comentário